quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Guerreiro

Você acha
Que sabe o que é honra?
Abaixa esse queixo pra mim
Vai ter que apanhar e aprender muito
Antes de brincar de guerreiro

Todo bom soldado
Já sofreu no passado
Isso não te faz especial
Só forma seu caráter

Pisado, chutado
Rejeitado, assustado
Tá tudo bem
Todo bom metal é sempre surrado

Um corpo machucado
Um espirito magoado
Um coração rachado
Mergulhe-os na forja

Derreta suas incertezas
Molde-as com novos pensamentos
Ache seu novo caminho
E bata o martelo com força

O que conseguiu até agora
São só calos
E uma estrada a sua frente
Não fica se achando
A luta começa no primeiro passo

As armadilhas vem ai
Com seus mil e um disfarces
Vão te seduzir ou pior
Fazer você sentir

Amigos com as mãos nas costas
A duvida plantada pelo sussurro
A ilusão de um atalho e ganhos
Promessas bonitas com olhos castanhos

A batalha é externa
A guerra é interna
Onde inimigos aparecem e o outros somem
Acorda, garoto, esse mundo é pra homem!

Andei pelo Vale da Morte
Vezes o suficiente
Pra chama-lo de casa
E os demônios me temerem

As sombras sempre serão
Mais comuns do que a luz
Não as evite ou fuja
Enfrente-as e as conquiste

Pisei no fogo
Enfrentei ventos frios
Enquanto a maioria caia ao bagaço
Só fiquei mais nervoso e com nervos de aço

Eu tive sangue em minhas mãos
Um grito entalado na garganta
Mas demonstrar emoção não é opção
É como botar um alvo no seu coração

Cerrei os punhos
Travei a mandíbula e avancei
Meu grito foi silencioso
Mas a cada um deles eu calei

Os falsos e baratos ficaram para trás
As mentiras e promessas não me enganam mais
Me chamam de excêntrico e dizem que mudei
Que estou sozinho graças a minha prepotência
Mas o topo da montanha é pra construir meu trono
Não sala de conferencia!

E se tiver sorte
Um dia vai achar
Os verdadeiros e sinceros
Para amar e guardar

Eles estão aqui comigo
Com seus conselhos, abraços e momentos
Mas cada um segue seu rumo
Conquistando suas próprias vitorias

Aqui está de testemunha
Solidão, velha amiga
Eu ando sozinho
Mas de cabeça erguida

Manter a honra não é fácil
A conquista do respeito
O poder de dormir tranquilo
Ficar em paz consigo mesmo

Mas é o caminho certo
Por isso quase ninguém o segue
Mas você se diz diferente
Diz que pode aguentar

Então se prepara pra se levantar
Mais vezes do que cair
A derrota vai parecer confortável depois de um tempo
Mas nós não nascemos pra ficar ali

E quando tudo estiver doendo
E nenhuma gota de força estiver presente no seu corpo
E todo peso do mundo está em cima da sua nuca
E suas pernas tremem e parece que vão quebrar

E mil inimigos vão ter cercar
E nenhum canto dessa terra te traz paz
E nenhuma mão amiga é estendida
E o chão lhe parece convidativo

Você vai rir deles

Você ainda vai dar aquele maldito passo
Vai percorrer mais mil milhas antes de respirar
Porque é assim que se faz
É quem somos
Guerreiros

E ai, garoto?
Tem peito pra isso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário