sábado, 21 de janeiro de 2017

Descobertas: (+18) Terra da Corrida Maluca - DC Comics


 Caralho, faz tempo que não faço uma seção descobertas, não é?
 Pra ser bem sincero, ando desmotivado pra escrever, por isso sai em busca de inspirações, lendo tudo que estava atrasado, em arquivos e livros, também saindo em busca de alguma coisa nova pra ler...
 E eis que isso caiu no meu colo.

 Pegue sua infância e jogue ela num barril de acido sulfúrico. Retire o esqueleto e coloque numa maca e deixe que tudo que é pós-apocalíptico tome conta e reconstrua-a a uma imagem distorcida de como é a natureza humana no fim do mundo. Depois pegue bebidas, drogas e uma prostituta e fique assistindo o processo, enquanto ideologias de nazismo, anarquia e hipocrisia colidem lá fora. Jogue um monte de clichês de HQ's dos anos 80, uma pitada de Mad Max e coloque um exoesqueleto em um cachorro falante. Agora pegue um carro e vá correr na radiação.
 Se você conseguiu concentrar essa ideia, você provavelmente pensou em algo parecido a Terra da Corrida Maluca da DC Comics.



" - Tecnicamente, a centopeia da areia quem venceu a corrida, você apenas pegou uma carona até o final. Se eu fizesse isso, todo mundo iria dizer que eu fui trapaceiro. 
Por que é que isso, de certa maneira, é justo?

- Porque você é um filho da puta! "

─ Dick e Penélope - Wacky Raceland #01

- - - - -

 Sábado de manhã era o nosso dia sagrado. Era estranho que, pais e mães, que chegavam do trabalho cansados e dominavam a sala nos deixassem ter nossa" programação do final de semana" sem grandes problemas. Era todo tipo de desenho que não passava durante a semana e gostávamos muito. Não tinha Dragon Ball Z, mas tinha Scooby Doo. Não tinha Digimon, mas tinha Power Rangers. E não tinha Yu Gi Oh, mas...tinha a Corrida Maluca.
 Eu, pessoalmente, nunca fui muito fã do desenho, era meio chato pra mim, mas eu me forçava a assistir pra não perder o controle da sala e acabei tomando gosto por algumas coisas: Os carros, a loucura que todos faziam, dispositivos e as armadilhas do Dick Vigarista. Foi meu primeiro contato com "carros poderosos" na vida.
 Criado em 1968, Corrida maluca reunia personagens insanos da Hanna Barbera e os fez competir por 34 episódios para ver quem teria o titulo de "Corredor Mais Louco do Mundo".
 48 anos depois, as coisas resolveram ficar um pouco mais sérias...


- Dick Vigarista e Mutley


A HISTÓRIA

" - Bem, isso é muito estranho. Eu nem se quer consigo... Eu não entendo... Eu me sinto como o Pinóquio ganhando vida. E como, diabos, eu sei quem é Pinóquio? Eu sou apenas um carro, certo...
Da hora, mano! "

─ Maquina do Mal - Wacky Raceland #02

-----

 Com o roteiro de Ken Pontac, criador de programas infantis, como Lazy Town, e escritor de programas não tão infantis, como a série Happy Tree Friends (uma mistura que combina com a HQ, vai por mim) e a arte de Leonardo Manco, que já desenhou grandes sucessos como Werewolf by Night, Doom e Hellblazer, Wacky Raceland estrou nas HQ's em 08 de Junho de 2016, trazendo os personagens de infancia bem mais maduros, canastrões e fodidos da cabeça em um mundo que foi todo pro inferno.
 Varias coisas aconteceram. Terremotos, tsunamis, vazamento de radiação, explosões atômicas, enxame de insetos mutantes, invasão de nano robôs, vermes comedores de homens, chuva de meteoros, é como se todos os finais do mundo possivel viessem de uma vez só, condenando a humanidade. Mas, por um acaso, ela acabou? Não, meu irmãozinho, vaso ruim não quebra e continuamos vivendo aqui da melhor maneira possivel, até que mais catástrofes vieram acontecendo e limpando todo mundo de pouco a pouco. E é nesse mundo fodido onde nossos personagens acabaram ficando a beira da morte, da insanidade e do fim absoluto...até que, algo aconteceu.
 Sempre quando algum deles está no seu limite, seja físico ou mental, eles acordam flutuando em um local escuro com uma voz que se diz "A Locutora" (The Anouncer), montando carros que são verdadeiras maquinas de combate em rodas, colocando Inteligencia Artificial nelas baseadas nos seus motoristas, os tornando inteligentes. Após preparar tudo, Locutora explica que existe um local chamado A Utopia, onde humanos vivem em paz e nada lá foi devastado pelas constantes agressões ao planeta e que somente UM deles pode ir viver lá, para todo sempre em paz, eles só precisam fazer uma coisa: Correr. Uma série de corridas e provas nos locais mais inóspitos do mundo e quem vencer a maioria será escolhido para viver lá enquanto o resto é deixado pra morrer nas Terras de Ninguém.
 E você acha que alguém disse não?


- Peter Perfeito


O CLIMA

" - Não tem nenhum Deus pra zombar, coroinha! Olhe bem a sua volta! Se ele estava mesmo aqui, abandonou esse buraco infernal há muito tempo! "

─  Tio Tomás - Wacky Raceland #03

-----

 Desolação, loucura e foda-se, isso é tudo o que vai tomar da paisagem e dos personagens. Como os antigos quadrinhos pós-apocalípticos la pelos anos 80, a improvisação e falta de bom senso nas ameaças ao seu redor são constantes e inúmeras: Mutantes, zumbis, insetos gigantes, vermes comedores de tudo, robôs assassinos e por ai vai. O mundo está dividido entre desertos radioativos, cidades em escombros e cinzas, grandes e enormes lixões e oceanos ferventes e tudo isso será cruzado durante as edições.
 Mas o importante mesmo são os personagens. Esqueça aquela galera meiga e barulhenta que queria só se divertir, aqui o buraco é mais embaixo.
 Dick Vigarista é um violinista que, antes de um concerto, a cidade foi invadida por nanorobôs e atacou o local do concerto que iria fazer. Paralisado de medo, fechou a porta do lugar onde estava, deixando sua esposa e filho do lado de fora, os matando de forma horrível durante o processo. Arrependido e amargurado, o único saindo vivo do lugar, tentou suicídio se trancando em seu carro e o enchendo de fumaça...até que a Locutora interveio, o convidando pra corrida e dizendo que em Utopia ele poderia reviver sua familia a partir do DNA de seus ossos (única coisa que sobrou deles). Canastrão, beberrão, briguento e cheio de artimanhas, não ligando pra ninguém e já quase deixando todo mundo pra morrer mais de uma vez, Dick só corre...não parece ligar se vai vencer muito ou não, acreditando pouco nas promessas feitas a ele. Seu carro, Maquina do Mal, tem mais bom senso que ele.
 Penélope Charmosa, aqui só chamada de Penélope, é o oposto de sua forma no desenho. Briguenta, gosta de meter porrada em mutantes, humilhar os outros corredores, sua religião é a Grega, tendo a deusa Athena tatuada no braço e ficando ofendida quando alguém fala mal de Zeus, e também gosta muito, mas muito de beber. Tendo uma vida bem conturbada por causa de um padrasto de merda, ela cresceu rebelde e pronta pra fazer o que tivesse que fazer pra sair por cima. Perdeu a família em um maremoto, mas não pareceu se incomodar muito, uma vez que nem chegou a cogitar a ideia de tentar pega-los de volta do mar ou revive-los em Utopia. Seu carro, "Pra Frente", tem a personalidade idêntica a dela.


 Tio Tomás e Chorão eram amigos de infância, ambos humanos, quando o mundo começou a desgrenhar de vez. A família dos dois morrem e eles nem ligam e Tomás vira um alcoólatra logo aos 12 anos de idade e Chorão se torna seu protetor. Os dois crescem juntos até que em um inverno, Chorão é obrigado a carregar o seu amigo que está dando PT de whisky quando são atacados por um urso que despedaça Chorão, o deixando sem rosto e sem os braços. Tomás consegue matar o urso, salvar o amigo e preparar a carne do animal para comerem, mas ele sabe que estão nas ultimas e não vão conseguir sair dessa até que a Locutora aparece e constrói um carro pra eles...e usa o cadáver do urso para dar um novo rosto pra Chorão, novos braços e pele.


 E esses são os mais leves dos personagens.
 Barão Vermelho é um nazista que quer ir para Utopia controlar suas armas e limpar o mundo dos negros, judeus e mutantes.
 Quadrilha de Morte são um bando de clones de pele verde, mascarados pra esconder as deformações que experimentos forçados deixaram neles..
 Professor Aéreo é um cientista louco que usa qualquer um em qualquer lugar como cobaias para suas experiencias e, ao que tudo indica, é um canibal.
 Medonho e Medinho são sádicos masoquistas que conseguem controlar morcegos mutantes que vivem em seus carros para devorar suas vitimas.
 Sargento Bombarda é uma trans que tem que lutar constantemente com os xingamentos do Barão e que faz questão de falar o quanto seu corpo é perfeito e por ai vai pois todos os personagens clássicos estão ai. E a dinâmica de todos eles, apesar de se odiarem, é muito foda, com momentos marcantes, tipo quando todo mundo come uma sopa de cogumelos que Rocha faz e todo mundo fica locão, dançando, vomitando e lembrando de seus piores medos a noite toda.
 É loucura atrás de loucura...e você se entrega a ela de bom grado.



POR FIM...

" - Verdade. É basicamente o trabalho da vida nos bater até perdermos toda esperança
 e começarmos a odiar o mundo. "

─  Penélope - Wacky Raceland #03

-----

 Estava conversando com Carol (a segunda em comando do blog) sobre como é bom ver coisas que você gostou na infância tendo uma face mais madura quando você cresce, dando aquele gosto de nostalgia e de surpresa. Terra da Corrida Maluca foi uma dessas doces surpresa.
 É a prova de que a DC nunca foi feita pra agradar todo mundo e foi criada para dar um toque adulto a suas historias. Fãs de HQ's clássicas vão se sentir honrados com tal obra e quem era fã do desenho talvez desenvolva gosto pela mesma uma vez que a psicopatia de cada personagem tem suas raízes no desenho clássico.
 DC Comics e Hanna Barbera já tinham feito outras parcerias, recriando as historias de Scooby Doo e Flintstones (essas que eu, talvez, mais tarde, falarei a respeito) e uma promessa de fazer algo com os Jetsons também, mas nenhuma dessas teve algo tão explicito e adulto como tem agora, eles realmente olharam e falaram "Quer saber? Vamos fazer algo +18 de verdade nessa porra!" e fizeram, graças ao bom Deus!
 Caso você tenha interesse em ler, todas as edições que saíram até agora estão traduzidas no site HQ Online e para ler, basta que vocês cliquem AQUI. É só clicar nas imagens das capas e desfrutar.

 Espero que vocês tenham gostado e se interessado. Leiam porque é muito bom.

 Tenham todos um bom dia, boa tarde e boa noite.

Valeu, falou'


Nenhum comentário:

Postar um comentário