terça-feira, 3 de novembro de 2015

Imortais: Capítulo 00 - Prólogo



Não, a vida não é uma "festa permanente e imóvel".
É uma evolução constante e rude.
- Ramalho Ortigão





 Eu vou contar por cima, ok? Os detalhes, eu darei mais tarde.
 De acordo com os diários encontrados em minhas viagens, cujas pessoas que escreveram não teriam motivos para mentir em seus próprios escritos, essa é a historia da humanidade.
 Em 2194, distorções gravitacionais estranhas foram percebidas no espaço, a exatos 225.305.000 km da Terra. Essas distorções não haviam motivo aparente ou qualquer tipo de fonte visível para qualquer estudo. Elas simplesmente aconteceram e fizeram com que o cinturão de asteroides que existe entre Marte e Júpiter começasse a se locomover diferente.
 O planeta vermelho foi bombardeado nos primeiros seis meses por inúmeras rochas de inúmeros tamanhos. Sua superfície foi completamente arrasada e logo, o planeta ficou irreconhecível.
 Foi mais ou menos ai que os asteroides começaram a rumar para a Terra. Tínhamos cerca de 13 a 15 anos para que os impactos começassem a acontecer.
 Por falha da NASA e outras instituições de observação, chegou ao conhecimento publico sobre tais deslocamentos. A descrença da maioria fez com que o caso fosse abafado, mas depois de alguns meses, vendo que aquilo era inevitável, foi preciso começar a comunicar o povo do risco, depois do fato, depois do perigo eminente. Se a noticia fosse espalhada de uma unica vez, panico e desordem (maior do que houve), certamente, seriam inevitáveis. Porém, ao liberarem pouco a pouco, houve tempo de se prepararem, a curto e longo prazo.
 Forças novas de segurança foram tomadas em todo o globo. Uma policia mais rígida, leis novas implantadas, toque de recolher, treinamento obrigatório para situações extremas em cada escola, em cada prédio comercial, em cada canto onde poderia haver grande quantidade de pessoas. Foi preciso ter mão de ferro para que o mundo não entrasse em turbulência. Os governos do mundo inteiro, em toda a sua vida, fizeram com que o povo fosse ignorante para que os seguissem e acreditassem em suas mentiras de que estaria tudo bem.
 Perante a face de uma terrível verdade, eles começaram a se arrepender disso.
 Mortes aconteceram, é claro. Aos montes. Gente que achava que era mentira e queria lutar para achar a verdade. Ceitas religiosas diversas ao redor do mundo disseram que assim que deveria ser e promoveram suicídios coletivos. Milicias formadas com a intenção de tirar proveito da situação em construir abrigos independentes. Gente rica tentando usar sua influencia para que as pessoas pobres não entrassem nos abrigos planejados. Foi uma puta bagunça.
 Mas, no final das contas, eles asseguraram o futuro da raça humana.
 Duas medidas fora usadas para isso.
 A primeira, foi usando os metros como portas de entrada, começou-se obras dos Abrigos F.S. (Fortalezas Subterrâneas), bem fundo no sub-solo, para que a raça humana migrasse para lá quando chegasse o dia. Cidades inteiras foram construídas de baixo da terra. O objetivo era deixar o mais parecido possível com as cidades acima para que o choque de quem entrasse não fosse muito grande. Lençóis freáticos desviados para que não faltasse água, terra para plantio e animais para consumo e criação foram testados e colocados. Até mesmo o entretenimento foi levado a sério. Você não pode esperar que uma civilização inteira vá para debaixo da terra e se contente em ficar olhando para o alto e vendo rochas. Como televisão seria algo difícil de ser concebido lá dentro, além de um consumo de energia excessivo e desnecessário, foram inventadas estações de rádio, tanto para "distribuir" musicas, mas para se comunicar com o restante das outras F.S..
 E livros. Muito livros.
 A energia para alimentar tudo aquilo foi, primeiro, solar, depois, nuclear. Os 15 anos que se seguiram de paz, painéis ao redor do globo captaram e armazenaram energia solar em reatores preparados para isso. E reatores nucleares fora colocados de prontidão, para caso tal energia falhasse ou acabasse antes que pudessem colocar novos painéis na superfície.
 A segunda medida foi mais complicada e praticamente esvaziou os bolsos do mundo todo.
 Um sistema de armas, bombas e lasers foi desenvolvido para minimizar os danos ao redor do globo.
 É sério. Imagine o mundo coberto por maquinas do tamanho de prédios com bombas do tamanho de trens e lasers fodidamente quentes que poderiam derreter e destruir rochas do espaço.
 Eu sei, do caralho.
 Enfim...até que o dia chegou.
 Em 24 horas, o mundo foi ao escuro, as pessoas desceram e as armas foram acionadas.
 Em 04 de Março de 2208, as 04:00 horas da manhã, A Grande Queda, como ficou conhecida...se iniciou. E começamos a atirar para os céus.
 Foram 3 meses de puro bombardeio. Nos últimos 15 dias, não havia mais munição para atirar aos céus, então as rochas lavaram tudo o que faltava.
 Quanto a vida no Subterrâneo...eu prefiro contar outro dia.
 Mas vou logo avisando que não deu muito certo.
 A partir dai, as datas se diferenciam. Por causa das nuvens de poeira que cobriram a atmosfera, o frio e as tempestades constantes não era território para nenhum tipo de animal ou humano sobreviver. Logo, alguns diários dizem que se demorou 100 anos para passar, outros 150. Só o que realmente está provado é que os netos daqueles que entraram foram os primeiros a sair.
 O solo era marrom com algumas vegetações aqui e ali, o frio ainda era intenso e as tempestades, frequentes. A vida animal havia mudado drasticamente. Mutações aconteceram, e nós não conseguimos descobrir o real porque. Mas o Sol brilhava as vezes...e a sede de poder conhecer o mundo a fora era algo que motivava os demais.
 O mundo todo começou a se comunicar e a nostalgia cobriu o planeta Terra. Conseguimos, caralho! Sobrevivemos!
 Até que a raça humana voltou a sua verdadeira natureza.
 O desastre.
 Nações não souberam administrar seus recursos e tudo estava faltando. Guerra era eminente. Podíamos não ter alimento, mas tínhamos armas. O Brasil, aqui, era o mais fodido, logo não era um alvo...até que encontramos.
 "Lagrima de Deus". Foi o nome dado ao Meteorito achado nas redondezas do antigo hospital das clinicas. A radiação que ele exalava era incrivelmente poderosa.
 Começamos a usa-lo como fonte de energia. A palavra "inesgotável" foi usada tantas vezes que até enjoei. A energia que o meteorito tinha era facilmente manipulável e parecia uma especie de bateria. Usava o quanto quisesse, se chegasse a esgotar ou enfraquecer, deixasse quieto por algum tempo que voltava a sua devida potencia original.
 É claro que caiu nos ouvidos dos poderosos. Eles procuraram meteoritos semelhantes. Não acharam, ao menos não que se igualasse ao que tínhamos, então, voltaram suas armas para nós.
 Começou a produção em massa de armas baseadas na energia do meteorito. Nós, sozinhos, por um bom tempo, fizemos frente a todos os outros.
 Eu não entendo porque eles não tentaram algo mais democrático. Por que não pediram por aquilo? Porque não falaram que precisavam de tal energia para viver e fizeram um acordo? Eles não entenderam nada com a queda dos meteoros?
 Eu não sei...
 Eu só sei o que está escrito.
 Então...mesmo com todo um poder de fogo, um só país não pode com o mundo todo. Começamos a perder terreno, começamos a perder homens. Logo, era necessário uma nova tática, algo que pudêssemos fazer para garantir nossa vida.
 Foi quando um grupo de cientistas insanamente necessários começaram a fazer seus esquemas com órfãos e voluntários igualmente insanos e que não tinham nada a perder.
 Experiencias foram feitas com a radiação e pedaços do meteorito para fundir biologicamente aquele poder com os seres humanos.
 Depois de inúmeras falhas...eles conseguiram.
 Esses seres que exalavam essas energias de forma unica em cada um, se tornaram soldados perfeitos, incansáveis, motivados e preparados.
 Eles ficaram conhecidos como Imortais.
 Ganhamos a Guerra graças a eles. Eles viraram heróis. O povo gostava deles e governantes começaram a usufruir isso...
 Até que tudo saiu do controle.
 Tal energia começou a afetar os Imortais. Muitos entraram em combustão espontânea, outros sangraram até morrer...mas até ai tudo bem. Outros se desformaram...e se tornaram monstros. Aberrações grotescas e inteligentes com ódio dos humanos. Muitos morreram nas mãos desses caras.
 Foi quando os Soldados da Fortaleza vieram. Caçadores dos Imortais. Os usuários de energia viraram repugnantes perante a visão publica e mereciam ser caçados. A nova força policial, instruída e comandada pelo General Fonseca, obteve bastante sucesso na eliminação dessa raça. O destino dos cientistas que fizeram as experiencias é incerto.
  Enfim...depois de ganha a guerra, é que os outros países pensaram em fazer acordo conosco, e fizemos...afinal, tínhamos que ter empregados pra crescer, não é mesmo?
 O mundo saiu de sua ordem...e está tentando retoma-la...mas a palavra "Apocalipse" está soando melhor em comparação a essa imagem que vejo do que "Ordem e Progresso".
 Meu nome é Tyler Valentine...ao menos é o nome que me disseram que é meu.
 E eu vivo nesse mundo que está tentando se reconstruir, porém tá foda...não é fácil viver aqui.
 Tem muita coisa acontecendo...tanto embaixo quanto por cima da Terra.
 E se vocês quiserem...eu mostrarei a vocês.
 Esse sou eu.
 Esse é meu mundo.
 Essa é a minha historia.



 - Tyler!
 - Não precisa gritar, Ericka!
 - Sai dessa! Levanta e vamos embora! Ouviu o radio, certo? Tem risco de tornado hoje.
 - Eu sei, eu sei...
 - Iiiiii...
 - O que foi?
 - Teve pesadelos de novo, não é?
 - Tive...
 - Hm..você me conta sobre eles quando chegarmos ao abrigo então, agora...vai levanta, eu não vou morrer por você.
 - E eu, muito menos, por você.
 - É isso ae. Vamos embora.
 - Vamo. Vamo que vamo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário