domingo, 25 de outubro de 2015

Tchau

Eu era frio
Imbatível
Um pouco vazio
Mas incorruptível

Eu me mantinha de pé
Solido, tranquilidade
Em mim eu tinha fé
Até mesmo autoridade

Fazia o que queria
Ciente das consequências
Mas nenhuma anomalia
Tirava minhas tendencias

Eu gostava
Mas não era o bastante
Então eu procura
O que faltava, o restante

Eu só soube o que era
Quando ela olhou por cima do ombro
Tudo desacelera
Tudo se torna rubro

Olhei em seus olhos
A gente conversou
O que havia de mim
Ela se apossou

Não me lembro quando foi
Mas lembro que gostei
Foi a primeira vez na vida
Que satisfeito eu fiquei

Quando ficamos juntos
Ela tremeu
Daquilo eu sorri
Porque a causa era eu

Ela tinha tantos planos
Trabalhava até demais
Eu me sentia em um sonho
Senti que eramos iguais

Eu fiquei sossegado
Até um pouco tonto
Eu só queria ir até a esquina
Ela queria ir pra Toronto

Só quando ela estava comigo
Que eu dormia de verdade
Ver ela de manhã
Era minha felicidade

Fiquei mais forte
Menos na sua presença
Ficava fraco
Com alegria, aceitei a sentença

Tínhamos família
Como era gostoso seu riso
Era o meu prazer
Era o meu paraíso

Eu criei meus planos
Eu dividi com minha valquíria
Foi um grande engano
Eu não sabia o que viria

Eu mudei
Ela mudou
Não foi como eu pensei
Quando foi que passou?

Eu não via seu sorriso
Seus lábios em linha reta
As vezes ela forçava
Mas ficava sempre quieta

Ela me deu motivos
Para eu ir embora
Fantasmas incisivos
Me diziam que era a hora

Mas eu não queria
Eu os afastei gritando NÃO
Perder ela
Jamais foi uma opção

As vezes ficávamos bem
As vezes um mal estar
Queria que ficasse tudo bem
Eu não queria aceitar

Eu era possessivo
Ela tinha seu defeito
Sentimento repulsivo
Contorcia no meu peito

Ela me disse coisas que eu não queria ouvir
Eu disse coisas que ela não merecia escutar
Eu nunca quis admitir
Mas eu não parava de lutar

Eu não queria voltar
Aos velhos caminhos
Eu não queria discutir
Eu só queria seu carinho

Ela diz que a sufoco
Que não quer mais me ver
Talvez tenha razão
Talvez assim que tem que ser

Mas eu me descontrolo
Toda santa vez
Que me lembro dos momentos
Que a nossa historia fez

Me sinto retornando
A minha velha natureza
Não mais parece agradável
Agora que vejo com clareza

Talvez eu fique melhor
E cresça novamente
Talvez fique pior
Quando virar abstinente

Eu deveria ter ouvido mais
Mudado um pouco menos
Ter sido mais maleável
Um pouco mais sereno

Eu só fico abismado
Com a naturalidade
Que ela encara esse fim
Pra ela é normalidade

Agora, assim eu vou ficar
Quieto no meu canto
Deixa eu pensar
É melhor por enquanto

Um dia eu vou me erguer
E começar tudo de novo
Sim, eu sei
Frase clichê desse povo

Mas uma coisa eu admito
Mesmo que seja anormal
Ela pode dizer adeus...
...
Pra ela, eu só consigo dizer tchau

Nenhum comentário:

Postar um comentário