domingo, 14 de junho de 2015

Seres da Noite #03 - Ikeda Shadewalker



 Ikeda Shadewalker está a muito tempo no elenco. Sua primeira aparição foi quando foi instruída pelos Três Grandes a matar Drake junto com Pandora, Mauricio e Paola. Mas antes mesmo disso, Ikeda já havia feito muito, vivido muito e experimentado muito.
 Aqui, falarei a respeito.

SHADEWALKERS

 Os Shadewalkers são o que chamamos de "Família Miscegena", ou seja, eles são o "resultado" de duas famílias unidas, no caso, os Mindbreakers (família cujo dom seja controlar as mentes fracas de adversários, seja para conseguir informações ou para criar ilusões fortes. É a família original de Nathalia Nightcrawler) e os Furtuna (palavra que em Romeno significa Tempestade, já mostrando o dom da família, que é criar exatamente isso). Apesar de um certo preconceito com as Famílias Miscegenas, pois muitos dizem que não importa o quão boas sejam as famílias que ela se originam, nunca alcançam um potencial máximo aceitável, os Shadewalker quebraram essa barreira e se tornaram uma das 7 Famílias mais influentes de todo mundo Vampírico. Suas habilidades de criarem nevoa, podendo cobrir campos inteiros e fazer sons e ilusões sombrias distintas para cada vitima os fez ser enxergado como os assassinos que o Conselho sempre quis ter.

ORIGENS

 "Não me lembro de muita coisa a respeito do meu passado. Ao mesmo tempo que me irrita, meio que me motiva a construir um futuro que valha a pena ser lembrado."

 Ikeda, assim como Drake, Nathalia e Lucas, não se lembra muito bem como foi seu nascimento, coisa que todo Vampiro deveria saber, já que constituem consciência quando logo saem do ventre da mãe. Sua memoria mais antiga é a de estar sendo abraçada por seu pai, Egan Shadewalker, Com um conta gotas, ele despejava sangue em sua boca e a fazia sorrir ainda como um bebê. Ela viveu grande parte de sua vida em uma mansão da Zona Sul de São Paulo. Quando tinha mais idade, seu pai lhe explicou que sua mãe morreu durante o parto. Ela era uma japonesa transformada por ele, chamada Jun Onaka, que aceitou de bom grado em passar a eternidade com ele. Porém, eles se apaixonaram de verdade, e Egan pensou em constituir família cedo demais, quando ela ainda não tinha um corpo forte pra isso. A gravidez a acabou matando. Egan se culpava, mas nunca a filha. Ikeda, por outro lado, culpava a si mesma. Mas ambos, nunca falaram muito sobre isso.
 Ikeda passou bons anos com seu pai, com ele a ensinando tudo sobre a convivência com os humanos. Apesar de morarem na zona sul, Egan nunca deixou que Ikeda se aventurasse por ali, sempre saindo da zona de moradia nas caçadas e aulas, com a instrução de que seria melhor, sem atrair possíveis atenções de caçadores para a região e para sua casa.
 O pai ensinou a filha tudo que precisava usar socialmente. Ensinou a historia da raça, deu a ela livros para ler, consultas a fazer, a ensinou se portar com os humanos, como manipula-los, devora-los.
 Quando fez 50 anos, Ikeda deixou de ver seu pai com a frequência de antes. Egan era um dos Guardas do Conde dos Shadewalker e havia conseguido uma licença para poder cuidar de sua filha o tempo que fosse preciso. Após isso, ele a deixou aos cuidados de Pandora Shadewalker, filha do Conde, para ter seu treinamento militar.

"Uma vadia sem coração e sem remorso. Do jeito que tinha que ser. Pandora me bateu mais do que meu pai e meus inimigos juntos jamais conseguiram. Ela fez por bons motivos. O que ela queria era tirar um soldado de mim, mais um ser digno do nome Shadewalker. Mas eu consegui ser algo mais. Algo que os Shadewalkers precisavam aprender a ser.
Pandora disse que estava orgulhosa de mim, mas que nunca deveria ter me treinado.
O que posso dizer? Eu não nasci pra ser soldado raso."

 Pela forma como foi treinada, tanto no caminho do soldado como no caminho do assassino, Ikeda percebeu que quanto mais poder tivesse, mais reconhecimento, mais autoridade e mais riquezas ela poderia ter. Isso a fez ser conhecida por desafiar inúmeros Vampiros e outras criaturas em disputas e batalhas ao redor do mundo e por suas viagens em busca de lendas e até mesmo de supostos artefatos. Sua determinação acabou atraindo as pessoas certas. Foi ai que ela conheceu as Ovelhas Negras.

OVELHAS NEGRAS

 As Ovelhas Negras é um culto principalmente de Vampiras mulheres em relação com a Natureza. A principal busca das Ovelhas Negras é a auto-emancipação e da natureza ao seu redor. Como Vampiros são excluídos da Natureza em si, quaisquer ações diretamente a ela sofrerá uma "punição". É como o Karma. Por um exemplo: Renata agora está mudando o país com o Conselho. Isso uma hora vai dar merda. Um Vampiro não pode se envolver em muita coisa que se diz respeito a vida dos humanos ou da natureza. Uma hora a casa cai, algo ruim acontece, a Natureza repudia as criaturas da escuridão.
 O que as Ovelhas Negras realmente buscam é fazer com que a Natureza os tome como criaturas vivas, mesmo que não tenham um coração pulsante. Elas tentam de varias maneiras, seja por volta de rituais ou por meios de meditação, além da luta em si, contra quaisquer um que se torne opositor abertamente dos seres vivos. Alguns os chamam de Naturalistas, mas é evidente que progrediram bastante, em vista de que agora existe A Marca. A Marca nada mais é do que um boost nos poderes do Vampiro em questão, mas ela representa como uma passagem de "permissão" da Natureza. Uma vez ativada, a Marca faz com que o coração do Vampiro bata lentamente quando ativado, fazendo o sangue negro fluir vagarosamente, mas o suficiente para deixa-lo mais poderosos. É o mais próximo que Vampiros conseguem de se tornarem coisas vivas.
 Justamente por isso é altamente perigoso ativar a Marca com o modo Fúria, mais ainda na Verdadeira Forma. Ambas são de pura natureza Vampírica, o que contradiz a "puresa" da Marca. O corpo do Vampiro pode entrar em choque e morrer de forma doloroso. Por isso, Bruna, apesar de ter ficado bem mais forte do que todos no Porto de Santos por alguns minutos, não durou muito de pé.
 A forma como a Marca foi criada ainda é um mistério.

"Era novo e diferente, em todos os sentidos, o modo em que viviam. Elas só precisavam de mim como uma lutadora, mas eu mostrei a elas os meus interesses de conhecer mais sobre o mundo, sobre meu respeito a ele. Elas me aceitaram...por um tempo."

 DIAS DE LUTA

 Ikeda foi levada as Ovelhas Negras por Jorá Bluefeets, uma das Vampiras ligadas a Mestra das Ovelhas, a líder do culto. O que fez ela ser escolhida foi sua sede por poder e informações. Eles estavam precisando de sangue novo na equipe a respeito de uma ameaça que precisava ser combatida. Ikeda ajudou na mesma e teve o direito de se tornar uma das Ovelhas Negras.
 Anos se passaram, Ikeda foi ficando mais forte e inteligente. Ela dividia seu tempo no Conselho e nas bases das Ovelhas. Acabou conhecendo muitos, incluindo Drake e Ana.
 Até que aconteceu a Rebelião dos Nightmare. A Guerra Civil teve inicio com baixas significativas do lado do Conselho...incluindo o pai de Ikeda e o pai de Pandora. Ikeda quase abandonou o culto por causa disso. Ela não queria mais paz. Ela queria guerra. Mas ao contrario do que pensou, a Guerra Civil mexeu com a raça toda, logo as Ovelhas Negras foram ao combate.
 Pandora assumiu o lugar do Pai como Condessa dos Shadewalkers e Ikeda como sua Guarda, com Marcelo e Paloma ao seu lado. A guerra foi ganha, mas os ressentimentos de Ikeda nunca passaram de definitivo.
 Tudo ficou calmo até o dia da Reunião, em que Drake foi colocado na Cadeira do Meio...de novo...e questionado sobre o suposto retorno de Renata. em que os Venans, os Caçadores invadiram o local. Ikeda estava presente e lutou ao lado de sua raça. Viu quando Lucian entregou a missão a Drake de pegar Lagrima de Prata. Achou estranho que logo em seguida lhe foi dada a ordem de procurar e elimina-lo, mas as seguiu. No caminho do confronto, Ela, Mauricio e Paola tiveram ordens para que não usassem todo seu potencial contra Drake. Em fato, se pudessem perder a luta, facilmente, seria uma boa. Assim foi feito. E logo, a merda foi jogada no ventilador, quando voltaram e viram que Renata havia tomado o Conselho para si como a "Quarta Grande Vampira".
 Ikeda permaneceu em silencio unicamente por causa da ordem de Pandora para que ficasse alerta e em silencio para ver até onde ia dar. Ela pode observar, porém, que muitos concordava com a visão de Renata, de que deveriam acordar o Hibrido e trazer ele ao mundo e transformar os humanos em escravos, os colocando em seu devido lugar, fazendo um mundo melhor não só para eles, mas para todas as criaturas Noturnas. Ikeda mais do que todos sabia que isso era impossível. Algo dessa magnitude não se consegue com o simples nascer de alguém.
 Com raiva e tristeza, ela viu os Redsons, família que respeitava, sendo usados como soldados descartáveis, somente pelo fato de terem o período de gestação menor. Viu famílias inteirais sumirem para não escolherem um lado numa guerra que os envolvia, querendo ou não, mas não os culpava. Depois da Guerra Civil dos Nightmare, tudo havia mudado. Muitas vidas foram perdidas.
 Ela só ficou bem novamente quando conheceu Bruna.
 Bruna trabalhava como segurança de Luana na boate Silverclaw. A química simplesmente aconteceu entre as duas e começaram a conversar todas as noites, até que se despontou no romance. Ao passar dos anos, Ikeda viu potencial em Bruna e a apresentou as Ovelhas Negras. As duas ficaram mais próximas ainda, porém, quando Bruna revelou que era uma Nightcrawler e que sabia onde Luana estava, um leve pensamento roçou na cabeça de Ikeda. O Conselho a vigiava, querendo ou não. Eles podiam encontrar Bruna e machuca-la.
 Ikeda, então, criou uma série de situações que acabou machucando Bruna propositalmente e a mandou embora.Tudo para que se afastasse e nada pudesse machuca-la.
 Um bom tempo passou até que Ikeda foi mandada procurar por Turquesa e seu navio.
 Como todos sabem eles toparam com Jason e seu grupo no meio de tudo. Mauricio e Paola acabaram mortos por Lucas e Marcelo. O que eles não sabem é que Pandora os ajudou. Quando criaram as nevoa para usarem como arma de combate, Pandora os acabou acertando com golpes, os enfraquecendo, vendo a chance de fazer com que os cães do Conselho não as seguissem mais. Porém, um bisbilhoteiro conta a Renata sobre a derrota questionável de Pandora e seu grupo. Querendo ou não, Pandora seria caçada, mas ela podia livrar Ikeda daquele fardo. Mandando a Guarda embora, pediu para que ela se reguardasse. Pandora é levada a corte e morta pelos insultos que acaba atirando em Renata.
 Ikeda se refugia em um prédio em construção, onde uma gangue de estupradores usava como local para seus atos. Ela se alimenta deles e fica ali, em seus momentos de luto.
 Como todos sabem, Dan Moonson a conhece aqui e fica sabendo do movimento dos Vampiros para o Porto de Santos. Se vendo sem opções, ela vai atrás da Bruna, pedir por auxilio e acaba participando da batalha.

PÓS BATALHA DO PORTO

 A Batalha do Porto acabou se espalhando rapidamente entre as Criaturas da Noite. Todos ficaram sabendo dos Vampiros que lutaram contra o Conselho e que tinham feito a maior algazarra. O que normalmente seria uma demonstração de desrespeito as Antigas Leis, acabou sendo um sinal para que uma resistência levantasse.
 Ikeda, no navio de Turquesa, Nereida, se aprofundou mais na relação com Bruna, Jason e principalmente com o Espectro. Após cada um ir para o seu lado, Ikeda sabia onde ir. Seus primeiros passos foram saber quem era o novo em comando dos Shadewalker. No caso, depois de algumas semanas, ela veio a saber que Anthony Shadewalker era o novo conde. Primo de Pandora e extremamente manipulável, era o cara perfeito pro cargo. 
 Ela procurou as Ovelhas Negras, mas todas as bases haviam sido esvaziadas e desapareceram todos. Depois, ela passou um ano rastreando os Furtuna, para procurar refugio e aperfeiçoar suas habilidades. Por fim, ela que foi encontrada por sua "prima", Perola Furtuna e acolhida na família.
 Agora, após 5 anos, ela está voltando para o encontro com seus amigos, acompanhada de Perola, com dois objetivos:
 Descobrir o que aconteceu com as Ovelhas Negras e acabar com quaisquer planos do Conselho, fazendo com que tudo volte ao normal.

 "Eu tive de ficar reclusa durante um bom tempo. Tanto por Pandora, que foi como uma mãe pra mim, quanto pelos Furtuna, para que meu treinamento fosse concluído, aperfeiçoado.
 Mas agora eu estou solta. Livre. E eu vou tomar o que é meu por direito. E mostrarei a Renata que não se brinca na nevoa."

PERSONALIDADE

"Não preciso de motivos para fazer o que eu quero. Quando bate a vontade é o suficiente para mim. Ele pode aparecer do nada ou pode ir se construindo aos poucos, mas o desejo de fazer algo vem de mim e deve ser respeitado. Deve ser consumado. Tomarei o que tiver de tomar, me tornarei o que eu quiser me tornar e irei aonde eu tenho que ir. Não por nada nem por ninguém. Mas por mim."

 Independente, acima de tudo. Ama a liberdade. Raramente aceita ordens e somente de pessoas que tem um grande respeito e admiração. Orgulho é algo que faz parte de Ikeda. Ela preza o respeito por si mesma e sua família, porém não chega a ser algo narcisista. Acima de tudo, está a preservação da raça e do equilíbrio natural das coisas. Ikeda odeia tudo que possa tirar esse equilíbrio, mesmo que seja da sua família. Ela também odeia quem discute com ela, sendo que está certa e de quem come fazendo barulho.
 Quanto a afeição, ela sente um amor forte por Bruna, sua prima Perola e pelos Furtuna. Ela tem muita curiosidade a respeito de Jason por ele entender o que as Ovelhas Negras representam com facilidade e de rejeita-la quando ela quis ficar com ele.

INSPIRAÇÃO

 Gabriela Ikeda é a modelo dessa personagem, a mesma modelo de Delírio. Uma grande amiga e excelente em dar suas devidas opiniões. Trabalhar com ela em Delírio foi muito bom e eu não poderia deixar ela de fora dessa historia que acabou se tornando mil vezes maior do que pensei que seria. É legal de trabalhar com a Ikeda porque ela topa praticamente tudo, dá opiniões a respeito do que você quer fazer, do que ficaria legal e etc.
 Ela é uma garota forte, de opinião e não se importa com o que está na moda, o que ela gosta é o que conta e nada mais. Ela tem noção do quão bonita é, demonstra isso em suas fotos e tals, mas em nenhum momento isso a deixa subir a cabeça. Ela é humilde em todas as situações.
 Ikeda é foda. u-u
 Seu personagem, além do pouco que eu conheço da pessoa, acabo me inspirando na personagem Selene de Anjos da Noite e na Mulan, tanto na animação da Disney como no poema Hua Mulan. 


 Espero que tenham gostado de mais um Seres da Noite.
 Valeu, falou, boa noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário