domingo, 31 de maio de 2015

Entrevista: Brandon Action Figures Shop


Sim, faz tempo que não rola uma entrevista aqui, eu sei, eu sei...

 Enfim, para as pessoas que me conhecem, sabem que eu sou um puta nerd. Curto tudo que tenha uma historia plausível e personagens memoráveis. Nesse meio, é quase impossível você não colecionar alguma coisa, seja livros, quadrinhos, Grafic Novels, DVD's, jogos e...Actions Figures. Principalmente, Action Figures.
 Ou bonecos, foda-se, chama logo assim e para de enrolar a linguá. -q
 Em meio a esse tipo de coleção, a fonte muitas vezes não vem de sites especializados ou até mesmo lojas fisicas, mas sim com negociadores online em redes sociais. Desde encomendas até trocas, você consegue um pouco de tudo. E aqui, hoje, vou falar com um dos mais conhecidos vendedores da parada.
 Brandon Action Figures Shop é o nome que ele deu aos seus negócios. Alexandre R. Carminati está no ramo a 5 anos, desde a época do Orkut em alta e já fez historia, tanto pela camaradagem quanto por bons preços e conseguir peças raras.
 E hoje, conversamos com ele.



V = Victor (eu)
A = Alexandre (entrevistado)



A seguinte entrevista aconteceu na noite de Sexta-Feira - 29/05/2015


 V: Boa noite, Alê. Tudo na boa?
 A: Tudo beleza.

 V: E ai, alguma novidade nas minhas encomendas?
 A: Logo mais estão aqui. Falando nisso, uma dica pra você, tu já viu aquelas figuras do Winston Studios? Eu nunca tinha visto. São um misto de animais e monstros, acho que você iria gostar.

 V: Com certeza vou dar uma olhada. Bom, agora, conte-nos um pouco sobre você.
 A: Meu nome é Alexandre R. Carminatiou, tenho 30 anos e sou formado em design gráfico pela universidade estadual de SC. Eu sempre fui apaixonado por super heróis e histórias em quadrinhos. Eu comecei a ler HQ's no inicio da adolescência, princialmente Marvel. Eu gostava de desenhar e queria melhorar, dai copiava os gibis. Também fazia os personagens do jogo Mortal Kombat 2. Logo meu hobby favorito é desenhar, por isso eu as vezes passo horas na mesa desenhando, gostaria de poder ter mais tempo pra fazer isso, infelizmente hoje em dia a vida ta muito corrida. Ai, por causa desse meu hobby, eu acabei ingressando nesse universo de Action Figures, por acabar conhecendo e e gostando muito de Star wars e também Comandos em Ação (G.I. Joes), que me lembravam minha infância. Depois que entrei nesse universo não consegui mais sair e já fazem 5 anos e é muito bom, para quem gosta.

 V: Agora, me diga, porque o apelido "BRANDON"?
 A: Por causa de Brandon Marshall, jogador de Futebol Americano, outra de minhas paixões. Ele jogava no Denver Broncos Widereceiver #15.

 V: Você é formado em Design Gráfico, foda! Eu não sabia dessa. Trabalha na área além dos Actions?
 A: Faço algumas coisas de freelance, mas atualmente to bem distanciado. Quero me dedicar aos quadrinhos, tenho umas histórias que um dia quero lançar.

 V: Boa, um parceiro escritor. Isso é bom! Mas focando nesse negócios de Actions, quando você entrou aqui, como começou realmente? Quais foram seus primeiros passos?
 A: Eu fiz tudo ao contrário do que todo mundo deveria fazer. Eu fui la no ebay e comprei um produto do Star Wars, (era um PAC que vinha Darth Vader x Obi Wan). Dai anunciei ela no Mercado Livre, sem ter chegado e um cara comprou dois dias depois, o que gerou uma certa revolta por parte dele. Dai depois disso eu fui comprando muitas figuras de Star Wars, porque conhecia os personagens e criei um perfil lá no Orkut (na época, ainda era febre). La conheci colecionadores e começamos a vender mais, eu e meu sócio, que na época o Paulo. Ai fomos nos aprofundando no assunto e tentando cada vez trazer mais coisas diferentes. Foi bem desafiador porque não é como hoje em dia. Naquela época tinham menos colecionadores e menos informação sobre os produtos. E nós perdemos muitas mercadorias, várias caixas nunca chegaram e perdemos muita grana, quase desistimos uns 4 ou 5 meses depois de começar.

 V: Entendo. Nesse meio, é comum se estressar, tanto o vendedor quanto o comprador, pelo que eu saiba.
 A: Pelo fator que você esta lidando com objeto de desejo de um apaixonado, as pessoas cometem loucuras, é por esse lado que eu vejo. Então eu sempre tento tratar todo mundo da melhor forma possível, mas sabe comoé, todo mundo é diferente um do outro, Algumas pessoas as vezes passam do limite e dai você da uma resposta mais curta e grossa eles já saem de Mimimi.

 V: KKK entendo. Você trabalha com mais alguém?
 A: Trabalho sozinho. O Paulo tá de férias uns 4 ou 5 meses, talvez ele resolva voltar quando der vontade.

 V: Ai é foda. Bom, Brandon, eu queria lhe perguntar uma coisa a respeito do Nelson, se você permitir.
 A: Pode sim, manda.

 V: Nelson era o cara dos preços baixos e achados impossíveis, influenciando muita gente a ingressar e crescer nesse nosso Hobby. Infelizmente, no dia 24 de maio de 2015, Nelson nos deixou e percebi que você foi um dos que mais sentiu isso.
 No começo, vocês dois pareciam ter um tipo de rivalidade, treta, depois tudo se resolveu. Poderia contar um pouco a respeito?
 A: Claro. Foi assim. O Nelson apareceu no Orkut um pouco depois da gente, dai ele já veio com aqueles preços dele quebrando todo mundo, inclusive nós. Não que a gente cobrasse muito, porque na época a gente vendia Star Wars e G.I. Joe de 20 a 60 reais, raramente um boneco chegava a 100. Ele veio um dia falar conosco, querendo ajuda sobre uns itens e tal, se era possível vender e ver se estava certo os acessórios de alguns, eu não me lembro direito. Ajudei ele, bem de boa e tal, ai ficamos amigos normais, conversávamos as vezes e tal. O Paulo comprou com ele bastante coisa, eu comprei uma Cheetara dos Thundercats uma vez e o Nelson comprou um Rambo da gente, isso eu nunca esqueço. Mas ai, na época, o pessoal começou a inflamar o negócio, querendo cada vez mais. Nós tentamos criar o sistema de "pré-venda", onde colocávamos fotos do produto que comprávamos no Ebay e o preço em reais e quando chegaria para nós, tipo daqui 1 ou 2 meses. Ai o Nelson também começou fazer assim e ele pegava os mesmos produtos que nós. só que o Nelson sempre teve mais poder de compra, a gente tinha limite no cartão de credito de 500 reais ele deviria ter, sei lá, uns 5000, e massacrou a gente comprando muito mesmo. Um dia eu fiquei puto, porque ele poderia trazer tudo que quisesse, mas ele fazia questão de trazer o que a gente trazia e ainda falava dos nossos preços, que a gente ficava de lucrar em cima de alguns produtos. Ele acabava com nossa margem de lucro. Se anunciávamos a 100, ele botava a mesma coisa por 70. Fodeu eu e mais uma multidão de vendedores. Dai eu chutei o balde e rompi relações com ele.
 Então, lembro que uma época ele se juntou com outros 3 vendedores (Cristiano Anunciação, Destro e o Snake Eyes, eu acho). Ele falava em parceria concreta e faziam promoções. A cada 50 reais ganhava um numero pra concorrer um Defiant, eu acho, era um veículo caro dos G.I. Joe.
 Ele meio que tentou excluir a gente do mercado, isso ai foi meio jogada suja dele, porque os 4 juntos podiam ter muito mais produtos que eu e o Paulo e muitos outros. Mesmo assim, nós continuamos fazendo nosso trabalho bem sossegado e, depois de uns meses, eles acabaram a parceria. Lembro que na época até deu umas tretas, entre eles e outras pessoas. No final das contas a gente sobreviveu ao tsunami, mas vários ficaram pelo caminho.
 Mas eu nunca tive nada pessoal contra ele. Foi sempre essa rixa de mercado. Inclusive eu falava com ele por mensagem no Mercado Livre, mandava perguntas pra ele, batíamos altos papos por lá. Até fiz piadas do Rivotril, para ele tomar cuidado da saúde. Eu sei de muitos caras que me odeiam por ai, por eu nunca ter sido sanguessuga do Nelson, eu fui muito mais amigo dele porque fui sincero em tudo. E antes dele falecer, a um mês atrás, ainda conversamos sobre negócios e ele me falou de algumas táticas dele que usava contra mim. Mas um dia conversamos e nos acertamos, ficamos em paz. Porque eu sou um cara muito tranquilo e eu não queria que ele pensasse que eu odiava ele e nem nada. É melhor seguir na vida em paz do que seguir em guerra.

 V: Foda. Sério, nunca pensei que a historia de vocês dois fazia tanto tempo.
 Bom, me conte, você continua sua coleção?
 A: Coleciono sim, mas é bem variada minha coleção, sem um foco, só coisas da minha infância e filmes que gosto. Sou bem chato quanto a isso, sou muito selectivo nas figuras. 
 Tenho um Dr Hyde Glasslite anos 80, Batman Neca Keaton 45 cm, Cobra de Gelo G.I. Joe, figuras variadas de Star Wars e etc. É tudo meio assim, espalhado, sem nenhuma série completa.

 V: Entendo. Bom, como você deve saber, eu escrevo contos aqui e, inegavelmente, o conto que mais fez sucesso aqui é Noturnos. Eu queria convidar você a ler o primeiro capitulo e me dizer o que acha dele.
 A: Claro, manda ae.


- Caso queria ler também o Primeiro Capitulo de Noturnos, clique aqui. -


 V: E ai, o que achou?
 A: Muito bom, cara. Nota 10. Viajei na narrativa e parece que estamos lá dentro, vendo tudo acontecer e vendo a galera morrer. Muito bom mesmo!

 V: Obrigado. Agora, para quem quer ingressar nesse mundo das Actions, o que você tem a dizer para eles?
 A: Não faça isso, com certeza você vai se descabelar muito. Não é medo de concorrência, mas é bem complicado hoje cada dia. Aparece uma loja "Toys" nova a cada segundo. Você vai nadar entre os tubarões e eles estão sedentos por sangue. Mas vai de vocês, haha'
 A propósito, se eu fosse fazer uma loja dessas hoje em dia, usaria um nome mais diferente. A grande maioria tem "Toys" e "Colecionáveis". Então se forem inventar um nome, sejam mais criativos do que eu fui, haha'

 V: Tem algumas fotos da sua coleção?
 A: Tenho algumas sim.




 V: Agora, para finalizar: Diga algum a coisa que você quer falar para quem está lendo isso.
 A: Bom, para o pessoal acha que lucramos muito: Coloca ai impostos, IOF, dólar alto e risco de produtos roubados e danificados. Aqui no Brasil existe a tal da "pechinchada", mas fora daqui os caras não sabem o que é isso, até ficam extremamente ofendidos e, em alguns casos, eles ficam putos se você pede desconto, logo não é muito fácil negociar com eles.
 Mais um detalhe: A nossa fama fora do país é uma das piores do mundo justamente por causa disso. Eu ainda tenho esperanças no Brasil, mas eu já larguei mão de politica aqui, todos se corrompem, eu vou aproveitando o pouco que tenho que eu to feliz. Apesar de tudo, o ramo de Actions tem me feito muito bem e me feito conhecer muita gente boa.
 Obrigado Victor, pela entrevista, nunca tinha dado nenhuma entrevista antes, foi legal.

 V: Eu que agradeço, Alê. Boa noite.
 A: Boa noite.


 É isso ae gente. Como vocês podem ver, não é fácil esse tipo de hobby, tanto do lado de quem vende quanto do lado de quem compra. Ainda assim, é recompensante ver sua coleção crescer e ter clientes satisfeitos.
 Querendo ou não, isso será o mais perto que ficaremos dos nossos heróis. O mais próximo de termos algo fisico deles. É muito bom ter todos aqueles ícones na sua prateleira.
 Para quem quiser comprar com Brandon, só clicar aqui ->  Alexandre Brandon Rafael (Brandon Action Figures Shop) <- e ver o que quiser que o cara arranja.

 Obrigado a todos que leram essa entrevista.
 Valeu, falou, até mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário